quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Tirem suas fotos enquanto eu conto suas histórias... :)

Certa vez eu estava fazendo backup do backup (é.. tem que fazer!).
Foi a primeira vez que me deparei com algo bem interessante que me fez pensar bastante sobre o que eu estava fazendo!
Chegamos em um momento em que não é mais inconveniente que os convidados façam suas próprias fotografias...
Muito pelo contrário: é uma história que precisa ser contada!
Minha afixação por legitimidade começou no começo mesmo...
Ensaios sem purpurina, registrando as crianças como elas eram no dia a dia.
Em suas rotinas, suas brincadeiras e seus sorrisos de verdade!
Hoje, quando dá saudade, eu pego as fotografias do meu filho e lembro de quem ele era.
Nenhuma fotografia de estúdio iria me oferecer isso... Captaram a mensagem?
Comecei a fotografar com o anseio de oferecer às pessoas algo que eu achava que estava faltando.
Como uma nova forma de fazer fotografia.
Algo que eu queria que fosse oferecido à mim.
E foi assim que tudo começou.
E foi assim que essa premissa se espalhou por todo tipo de trabalho que eu realizo até então.

O que aconteceu foi que vi pelas minhas lentes um movimento curiosíssimo acontecendo... Especialmente nas festas!
Festa é aquilo, né? FESTA! Alegria, um rito de passagem especialíssimo...
Desde sempre todo mundo leva sua Compacta pra fazer as Fotenhas!
Mas os tempos mudaram, meu caro! Cada ano que se passou eu vi os fotógrafos de ocasião serem dizimados por avós, tios, tias, amigos em geral, ou quem tiver mais bateria no celular!
Ri não!! É ou não é?
Facebook, Instagram, Whatsapp, Snapchat, Messenger... Tá tudo mundo esperando a sua atualização em tempo real, amigo! Com eles não dá pra concorrer... rsrsrs

Em minha defesa, só digo o seguinte: vocês nunca conseguirão contar suas próprias histórias! :)
E que histórias bacanas eu tenho contado por aí...
Sente só:
"Cecília... Olha pra tia! Olha pra titia!!!", corta pra Cecília, que deu um tapa no celular que na sequência se dividiu em mil pedaços no chão. Tá, essa não foi nada divertida! :/
"Vai vô! É só apertar a tela! Aperta! Aperta!!!", corta pra vovô esmagando o celular com as duas mãos. Foi uma gracinha essa... rsrs
"Vocês estão olhando pra Fotógrafa!!! Se não olhar pra mim a foto do Facebook vai ficar feia!", corta pra uma tchurma de umas 20 pessoas todas elas olhando em outra direção! A fotógrafa ri sozinha, eles entendem, e todo mundo começa a rir junto e misturado.
"Tira essa foto logo... Minha cara tá doendo de tanto sorrir!", corta pra tiazinha que na verdade estava filmando e nem sabia. Todo mundo riu, inclusive ela!
"Gabi, abraça ele! Abraça... Agora pode soltar! Solta, Gabi! Solta...", corta pra Gabi que deve estar agarradinha com o amiguinho até agora! rsrs Foi fofo!
"Com o pau de selfie dá!", corta pra uma galera fazendo malabarismos pra todos estrarem na foto. Não temos notícias de como ficou a foto, infelizmente! rs
"Gente, juntaê! Juntaê... Rápido!!!", corta pra bateria do celular que zerou ali na hora.
"Ô Fotógrafa! Você com esse celular grandão aí! Tira uma foto do seu e manda pra mim pelo Whatsapp?", corta pra fotógrafa com a tábua de carne reluzente nas mãos, deixando a Nikon de lado por uns 15 minutos.
"Você se importa de tirar uma foto da gente com o meu celular?", a segunda frase mais dita de todos os tempos.
"Eu tô te atrapalhando?", a frase que eu mais ouvi em toda a minha vida.
Por hora é o que eu lembro.
Eu sei que amanhã vou me lembrar de outras, mas vocês entenderam né?
Sigam vivendo suas histórias.
Façam suas fotografias.
E me chamem pra contar suas histórias. :)

Luana Braga.
Fotógrafa - Tia Coruja Fotografia.

À quem interessar possa:
*As fotografias não tem (necessáriamente) relação com as histórias contadas acima.
**Essas fotografias estão protegidas pela Lei de Direitos Autorais. Fica esperto! De nada.


















Um comentário:

  1. Eu sempre faço fotos assim, acho que são a realidade de hoje em dia, rs

    ResponderExcluir